Painel 5

Economia criativa para o desenvolvimento das cidades, é tema principal do evento. O objetivo do painel é o de provocar no público as reflexões da economia criativa na cidade além do território. O módulo apresenta diferentes visões e experiências da economia criativa nas METÁPOLIS. Com este objetivo, foram selecionados quatro painelistas com visão dos principais setores econômicos da economia criativa. Visão econômica e social do setor (Julia), marketing (branding) da identidade histórica (Alessandra) fundamentais para o turismo. O painel também conta com representantes da música – (Leonardo), (82 milhões de euros na UE - http://bit.ly/2ZfCfJs) e de entretenimento / eventos (Justo) (https://bit.ly/37iLq09 / 4,6% do PIB nacional). Só o Carnaval representa 10 bilhões num ano (http://bit.ly/2Zi5tY3) 1,4% do PIB do Rio de Janeiro. Boas falas sobre a importância da cultura - https://youtu.be/IjV-99mZ8eM ;

Julia Zardo (Gerente de Ambientes de Inovação da Firjan).

Julia fez sua dissertação de mestrado com a cidade de conservatória “Comunicação, cultura e desenvolvimento local – conservatória (rj), um estudo de caso” https://bit.ly/3qtQfLK e fez sua tese de doutorado na economia da UFRJ com o título “Ambientes de inovação e mecanismos de geração de empreendimentos: estudos de caso sobre a economia criativa na cidade do RJ” http://www.genesis.puc-rio.br/media/biblioteca/Tese_Julia_Zardo_2017_PPED_IE.pdf julia iniciou a primeira incubadora cultural da América Latina e escreveu o livro Incubadoras culturais do negócio da cultura a cultura dos negócios (Sebrae / ANPROTEC).


Alessandra Baiocchi (Professora de Marketing e Coordenadora adjunta do MBA de Gestão de Marketing do IAG PUC-Rio.)


Alessandra é especializada nos Segmentos de Arte, Entretenimento e Economia Criativa e tem estudado Indústrias Criativas e seu impacto nas cidades. Já trabalhou com teatro infantil, música e dança flamenca. Antes de iniciar sua vida acadêmica, atuou no mercado corporativo durante 15 anos, trabalhando tanto em empresas de pequeno porte quanto em multinacionais, em 2004 abriu sua própria empresa de consultoria, A.C. Baiocchi Consultoria e Gestão Empresarial. Seu projeto de tese investiga o impacto da música ao vivo nas cidades através de um estudo comparativo entre Montréal (Canadá) e Rio de Janeiro (Brasil).


Leonardo Fuks (Professor associado de Acústica Musical e de Ciência da Voz da Escola de Música da UFRJ).


O Leonardo fez mestrado em Engenharia de Produção pela COPPE/UFRJ, doutorado pelo KTH-Suécia, Instituto Real de Tecnologia, Estocolmo e pós-doutorado em 2020 e 2021 na Universidade de Música de Detmold - Instituto Erich Thienhaus de Engenharia de Som, Alemanha. Foi membro fundador da Orquestra Sinfônica do Paraná, da Orquestra de Música Brasileira e músico contratado do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Criou e dirige desde 2000 a Cyclophonica, única orquestra profissional de bicicletas do mundo e em

2002 criou a Cellphonica, um dos primeiros grupos do mundo que utilizavam aparelhos celulares como instrumentos musicais. Produz e Desenvolve novos instrumentos musicais, tendo já inventado mais de 40 variedades. Além desta multidiciplinariedade, Leonardo é membro do Programa de PósGraduação lato sensu de Educação Científica em Biologia e Saúde da Fiocruz.


Luis Fernando Moura Justo (CEO Rock in Rio)


Engenheiro de Produção com MBA em Gestão de Negócios, Justo, depois de atuar no mercado financeiro e em uma consultoria multinacional, tornou-se aos 28 anos CEO da Osklen, liderando sua expansão e transformação em uma das mais respeitadas marcas de moda do mundo.

Nos últimos 10 anos, atua como CEO do maior festival de música do mundo, liderando dentre outros grandiosos desafios o de exportar entretenimento de alto nível para a capital do entretenimento mundial– Las Vegas. Em 2015, recebeu o prêmio de personalidade empresarial do ano, pela Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento, em reconhecimento dos resultados obtidos em sua carreira de executivo